Produção do cuidado e a Educação Permanente na estratégia Saúde da Família: uma roda de conversa

Adicea de Souza Ferreira, Ana Lúcia Abrahão

Resumo


Trata-se de um relado de experiência que ocorreu entre duas equipes da Estratégia Saúde da Família, as quais dividem o mesmo espaço físico em um município localizado na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, nos meses de agosto e setembro do ano de 2019. A produção do cuidado assim como a Educação Permanente estão presentes no contexto das equipes, as quais buscam a organização, qualificação e resolutividade das ações em saúde relacionadas aos indivíduos assistidos em seus territórios. A discussão através de Rodas de Conversa como processo multiprofissional e interdisciplinar, nos traz reflexões sobre a organização do processo de trabalho e as ações de cuidados dos coletivos estudados.


Palavras-chave


Profissional da Saúde, Educação Permanente; Estratégia Saúde da Família; Gestão em Saúde.

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO MLM , ABADE FL. (2008). Para reinventar as rodas. Rede de Cidadania Mateus Afonso Medeiros. RECIMAM: Belo Horizonte; 2008.

Almeida DL, Cota ALS, Alvim RG, Pereira TS. (2020). Saberes em saúde mental e a prática profissional na Estratégia Saúde da Família. Research, Society and Development, 9(3): e18932134, 2020. Disponível em: http://rsd.unifei.edu.br/index.php/rsd/article/download/1821/1543

BRASIL. Política Nacional de Atenção Básica. Secretaria de Atenção à Saúde. Brasília: MS, 2007. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_atencao_basica_4ed.pdf

BRASIL. Acolhimento à Demanda Espontânea. v.1. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica,2011. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/acolhimento_demanda_espontanea_cab28v1.pdf

BRASIL. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: Diabetes Mellitus. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica Nº 36, 2013. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/estrategias_cuidado_pessoa_diabetes_mellitus_cab36.pdf

BRASIL. Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: Hipertensão Arterial Sistêmica. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção de Atenção Nº37, 2013. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab/publicacoes/caderno_37.pdf

BRASIL. Protocolos da Atenção Básica: Saúde das Mulheres, Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa. Ministério da Saúde 2016. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/protocolos_atencao_basica_saude_mulheres.pdf

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Disponível em: http://www.brasilsus.com.br/index.php/legislacoes/gabinete-do-ministro/16247-portaria-n-2-436-de-21-de-setembro-de-2017

Bispo Júnior JP , Moreira DC. Formação, vivências e práticas dos profissionais dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família e das equipes apoiadas Saúde Pública. Cad. Educação Permanente e Apoio Matricial. 33(9):e00108116, 2017. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0102311X2017000905010&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

BONFIM, E. S; OLIVEIRA, B. G; ROSA, R. S; et al. Educação Permanente no Cotidiano das Equipes de Saúde da Família: Utopia, intenção ou realidade? J. Res.: fundam. care. [online]. abr./jun. 9(2): 526-535,2017. Disponível em: http://seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/5464

CECCIM, R. B. Educação permanente em saúde: desafio ambicioso e necessário. Interface (Botucatu). 9 (16): 161-177, 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/icse/v9n16/v9n16a13.pdf

FARIAS, D.N. et al. Interdisciplinaridade e Interprofissionalidade na Estratégia Saúde da Família. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, 16(1): 141-162, jan./abr,2018. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S198177462018000100141&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

FRANCO, T. B. Produção do cuidado e produção pedagógica: integração de cenários do sistema de saúde no Brasil. Interface. 11(23): 427-38,2007. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-32832007000300003

MERHY, E. E. O ato de governar as tensões constitutivas do agir em saúde como desafio permanente de algumas estratégias gerenciais. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 4, n. 2. p. 305-314, 1999. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S141381231999000200006&script=sci_abstract&tlng=pt

MERHY, EE. (2002). Saúde: Cartografias do Trabalho Vivo. São Paulo: Hucitec.

MOURA AF, LIMA, MG. A Reinvenção da Roda: Roda de Conversa: um instrumento metodológico possível. Revista Temas em Educação, João Pessoa, 23(1): 98-106, jan.-jun,2014. Disponível em: https://www.periodicos.ufpb.br/index.php/rteo/article/view/18338

NASCIMENTO TMS SANTOS NSB, BRITTO MHRM. Avaliação dos exames de Papanicolau realizados em uma Unidade Básica de Saúde no interior do Piauí. Research, Society and Development, 9(2): e186922105,2020. Disponível em: https://rsd.unifei.edu.br/index.php/rsd/article/download/2105/1830

RICARDO HENRIQUE VIEIRA DE MELO ET AL. Roda de Conversa: uma Articulação Solidária entre Ensino, Serviço e Comunidade. Revista Brasileira de Educação Médica 302 40 (2): 301–309,2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010055022016000200301&script=sci_abstract&tlng=pt

SANTANA ET AL. Promoção à saúde de Hipertensos e Diabéticos a partir da problematização do Território. Research, Society and Development, 9(1): e141911492,2020. Disponível em: https://rsd.unifei.edu.br/index.php/rsd/article/viewFile/1492/1399




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p306-315

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.