Diversidades culturais, deficiências e inclusão

a potência curricular da educação infantil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2021v13n33p333-354

Palavras-chave:

Diversidades, deficiências, potência curricular

Resumo

O tema do artigo diz respeito aos saberes de fundo com os quais docentes da Educação Infantil de São Paulo têm respondido à Educação Inclusiva. O objetivo consiste em demonstrar que na intersecção entre diversidades culturais e deficiências revelou-se grande potência curricular nos modos exemplares de responder à presença de crianças migrantes estrangeiras com deficiência. Metodologicamente foram utilizadas cenas registradas em cadernos de campo, anotadas em pesquisas etnográficas de um amplo programa de pesquisa. As cenas foram analisadas com base na antropologia educacional de Roy P. McDermott e Hervé Varenne. Os resultados possibilitaram concluir que a docência com crianças pequenas expressa um currículo praticado com potencial para fortalecer a Inclusão em toda Educação Básica. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marcos Cezar de Freitas, Universidade Federal de São Paulo

Professor do Departamento de Educação da Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Unifesp e do seu PPG Educação.Coordenador do Projeto EDUCINEP: Educação Inclusiva na Escola Pública.Pesquisador CNPq.

Referências

ALVES, M.A. A voz de estudantes bolivianos em uma escola pública da cidade de São Paulo. 2015. Dissertação (Mestrado em Educação, Arte e História da Cultura). PPG Educação, Arte, História da Cultura. Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2015.

AVELINO, Y.D. Imigrantes e refugiados: haitianos em São Paulo In: BAPTISTA, D.M.T.; MAGALHÃES, L.F.A. (orgs). Migrações em expansão no mundo em crise. São Paulo, EDUC, 2020, p. 193-212.

BAENINGER, R. et al. (orgs.). Imigração Haitiana no Brasil. Jundiaí: Paco Editorial, 2016.

BAENINGER, R. Imigração Boliviana no Brasil. Campinas: NEPO/UNICAMP, 2012.

BAPTISTA, D.M.T.; MAGALHÃES, L.F.A. (orgs). Migrações em expansão no mundo em crise. São Paulo, EDUC, 2020.

BONDIOLI, A. (org). O tempo no cotidiano infantil. São Paulo, Cortez Editora, 2004.

BRAGA, A.C.A. Imigrantes latino-americanos na escola municipal de São Paulo: sin pertinências, sino equipaje. 2019, Tese (Doutorado em Educação, Arte e História da Cultkura). PPG Educação, Arte, História da Cultura. Universidade Presbiteriana Mackenzie, 2019.

BRAGA, A.C.A. O estado da arte da educação para imigrantes. Ponto e vírgula, São Paulo, PUCSP, n.25, 2019b, p.2-14.

BRAH, Avtar. Diferença, diversidade, diferenciação. Cadernos Pagu , Campinas, (26), 2006, p. 329-376.

BRONFENBRENNER, U, Ecologia dello sviluppo umano. Bolonha, Il Mulino, 1986.

CARVALHO, M.P. Interseccionalidade um exercício teórico a partir de uma pesquisa empírica. Cadernos de pesquisa. Fundação Carlos Chagas, São Paulo, v.50, n. 176, p.360-374, 2020.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano. Petrópolis, Editora Vozes, 2000.

DUBAR, C. A construção de si pela atividade de trabalho: a socialização profissional. Cadernos de pesquisa. Fundação Carlos Chagas, v.42 n. 146, p. 351-367, 2012.

DUBAR, C. Trajetórias sociais e formas identitárias. Educação e Sociedade, Campinas, v. 19 (62), 1998, p.1-16.

DUBAR, C. La crise des identités: l’interpretation d’une mutation. Press Universitaire de France, 2006.

FINCO, D.; BARBOSA, M.C.; FARIA, A.L.G. (orgs). Campos de experiência na escola da infância. São Paulo, Leitura Crítica, 2015.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2011.

FREITAS, M.C. O coletivo infantil: o sentido da forma. In: FARIA, A.L.G. (org.) O coletivo infantil em creches e pré-escolas. São Paulo, Cortez Editora, 2007, p. 7-13.

FREITAS, M.C. O aluno problema: forma social, ética, inclusão. São Paulo, Cortez Editora, 2009.

FREITAS, M.C. O aluno incluído na educação básica: avaliação e permanência. São Paulo, Cortez Editora, 2013.

FREITAS, M.C.; GONÇALVES, R.B. Crianças diagnosticadas com TEA na escola pública: novos desafios, velhas dicotomias. Horizontes, Campinas v. 39, p. e021018-26, 2021.

FREITAS, M.C.; JACOB. R.N.F. Inclusão educacional de crianças com deficiências: notas do chão da escola. Educação e Pesquisa, Universidade de São Paulo, v. 45, online p. e186303, 2019.

FREITAS, M.C.; SANTOS, L.X. Interseccionalidades e a educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Cadernos de Pesquisa, Fundação Carlos Chagas, v. 51, p. e07896, 2021.

FREITAS, M.C.; SILVA, A.P. Crianças bolivianas na educação infantil de São Paulo: adaptação, vulnerabilidades e tensões. Cadernos de Pesquisa, Fundação Carlos Chagas, v.45, p. 680-702, 2015.

GOFFMAN, E. Comportamento em lugares públicos. Petrópolis, Editora Vozes, 2013.

GOFFMAN, E. Estigma. São Paulo, Editora LTC, 2011.

GOFFMAN, E. Rituais de interação. Petrópolis, Editora Vozes, 2012.

GONÇALVES, A.R. Espaço migrante: entre enunciações e olhares. Dissertação (Mestrado em Educação). 2010, PPG Educação, Universidade de São Paulo, 2010.

GRABRIEL, A.K.L. Jogo de espelhos: representações sociais de professores de língua portuguesa e de aprendizes bolivianos em contexto multicultural na rede pública de ensino. 2016, Dissertação (Mestrado em Educação). PPG Educação, Universidade de São Paulo.

HABERMAS, J. A inclusão do outro. São Paulo, Editora Unesp, 2018.

HABERMAS, J. Mudança estrutural na esfera pública. São Paulo, Editora Unesp, 2014.

HABERMAS, J. Teoria do agir comunicativo. São Paulo, Editora Martins Fontes, dois volumes, 2012.

HUGUES, B. e PATERSON, K. El modelo social de discapacidad y la desaparición del cuerpo. In: BARTON, L (org.) Superar las barreras de la discapacidad. Madrid, Ediciones Morata, 2017, p.107-121.

INGOLD, T. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição. Petrópolis, Editora Vozes, 2017.

JOIA, A. Brincar e aprender. Curitiba, Appris Editora, 2018.

KRAMER, S. Privação cultural e educação compensatória. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, Fundação Carlos Chagas (42): 54-62, 1982.

LAVAL, C. Foucault, Bourdieu e a questão neoliberal. São Paulo, Editora, Elefante, 2020.

MAGALHÃES, G.M. Fronteiras do direito humano à educação: um estudo sobre os imigrantes bolivianos nas escolas públicas de São Paulo. 2010, Dissertação (Mestrado em Educação), PPG Educação, Universidade de São Paulo, 2010.

MAGALHÃES, G.M.; SCHILLING, F. Imigrantes da Bolívia na escola em São Paulo: fronteiras do direito à educação. Pro-Posições, Campinas, v. 23, n. 1 (67), p. 43-63, jan./abr. 2012.

MARQUES, M.P. Tempo, corpo e interações face a face: corporeidade de crianças com doenças crônicas neurológicas. Uma etnografia entre o hospital e a escola. 2019, Tese (Doutorado em Educação e Saúde), PPG Educação e Saúde, UNIFESP, 2019.

MARTÍNEZ, A.M.; REY, F.G. Psicologia, educação e aprendizagem escolar. São Paulo, Cortez Editora, 2017.

MARTINI, R.M.F. Habermas: 80 anos de percurso filosófico, novos rumos para a teoria crítica e reflexos na educação. Revista reflexão e ação, Santa Cruz do Sul, v.19 n.1, p. 187-208, 2011.

MASELLA, A.P.I. Diferença cultural, política e representações sobre inclusão escolar de imigrantes bolivianos no município de São Paulo. 2019. Dissertação (Mestrado em Educação). PPG Educação: Currículo, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2019.

MAUSS, M. Técnicas do corpo. In: MAUSS, M. Antropologia e sociologia. São Paulo, Cosac & Naify, 2003, p.401-424.

McDERMOTT, R.P. Inarticulateness. TANDEN, D (Ed.). Linguistic in context. Norwood, N.J:Ablex, 1988, p. 37-68.

McDERMOTT, R.P. The acquisition of a child by a learning disability. In: CHAIKLIN, S.; LAVE, J. (eds). Understanding practice. Cambridge University Press, 1993, p. 269-305.

McDERMOTT, R.P.; VARENNE, H. Culture, development, disability. In: JESSOR, R et alli (eds). Ethnography and human development. Chicago University Press, 1996, p. 101-126.

MEAD, G.H. The philosophy of the present. Chicago, Chicago University Press, 1932.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. São Paulo, Editora Martins Fontes, 1982.

MOLINARI, S.G.S. Imigração e alfabetização: alunos bolivianos no município de Guarulhos. 2016. Tese (Doutorado em Educação), PPG Educação, História, Política, Sociedade. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2016.

MORAIS, P.T. Fronteiras, idiomas e lousas: dilemas e perspectivas proporcionadas pela educação escolar a um grupo de imigrantes bolivianos instalados na grande São Paulo nas décadas de 1990 a 2000. 2007, Dissertação (Mestrado em Educação). PPG Educação, Universidade Nove de Julho, 2007.

MURPHY, R. The body silent. New York, Norton Press, 2000.

OLIVEIRA, L. R.P. Encontros e confrontos na escola: um estudo sobre as relações sociais entre alunos brasileiros e bolivianos em São Paulo. 2013. Dissertação (Mestrado em Educação), PPG Educação, História Política, Sociedade. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, 2013.

PATARRA, N.L. Migrações internacionais de e para o Brasil contemporâneo: volumes, fluxos, significados e políticas. São Paulo em Perspectiva. São Paulo, vol.19 n.3 Jul/Set. 2005, online.

PINO, A. As marcas do humano. São Paulo, Cortez Editora, 2010.

ROBIM, R. Construções pronominais e verbos existenciais: comparação da escrita de alunos bolivianos e descendentes de primeira geração com a de alunos brasileiros sem nenhuma ascendência hispânica. 2017, Dissertação (Mestrado em Letras). PPG Língua Espanhola e Literatura Espanhola. Universidade de São Paulo, 2017.

ROCKWELL, E.; EZPELETA, J. A escola: relato de um processo inacabado de construção. Currículo sem Fronteiras, v.7, n.2, pp.131-147, Jul/Dez 2007.

ROSEMBERG, F. A LBA, o Projeto Casulo e a doutrina de segurança nacional. In: FREITAS, M.C. (org.) História social da infância no Brasil. São Paulo, Cortez Editora, 2016, ed. ampliada, p. 205-228,

SILVA, A. P. No hablamos español! Crianças bolivianas na educação infantil paulistana. 2014. Dissertação (Mestrado em Educação e Saúde), PPG Educação e Saúde, 2014.

SILVA, T.T. Alienígenas em sala de aula. Petrópolis, Editora Vozes, 1995.

STRATHERN, M. O efeito etnográfico. São Paulo, Editora UBU, 2017.

TREMAIN, S. L. Foucault and the Feminist Philosophy of Disability. Michigan: University of Michigan Press, 2017.

UNESCO. Declaração de Salamanca e o enquadramento da ação, necessidades educativas especiais. Salamanca, 1994.

UNICEF. Declaração mundial sobre educação para todos. Jomtien, 1990.

VARENNE, H.; McDERMOTT, R.P. Why’ Sheila can read. In: SCHIEFFELIN, B.; GILMORE, P. (eds). The acquisitions of literacy. Norwood: Ablex, 1986, p. 188-210.

VIEIRA, L.M.F. Mal necessário: creches no Departamento Nacional de Criança, Brasil (1940-1970). In: FREITAS, M.C. (org.) História social da infância no Brasil. São Paulo, Cortez Editora, 2016, ed. ampliada, p. 165-204.

VIGOTSKI, L. Mind and society. Cambridge, Harvard University Press, 1978.

WALDMAN, T.C. O acesso à educação escolar de imigrantes em São Paulo: a trajetória de um direito. 2012. Dissertação (Mestrado em Direito), PPG Direito, Universidade de São Paulo, 2012.

WOODS, P. Investigar a arte de ensinar. Porto, Porto Editora, 1999.

WOODS, P. La escuela por dentro. Barcelona, Paidós, 1998.

Downloads

Publicado

2021-12-22

Como Citar

FREITAS, Marcos Cezar de. Diversidades culturais, deficiências e inclusão: a potência curricular da educação infantil. Debates em Educação, [S. l.], v. 13, n. 33, p. 333–354, 2021. DOI: 10.28998/2175-6600.2021v13n33p333-354. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/12549. Acesso em: 23 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Educação Infantil e currículo(s):culturas, docência e formação em debate

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.