A Pedagogia Histórico-Crítica como caminho possível para uma Educação Ambiental Crítica

Marcela de Moraes Agudo, Lucas André Teixeira

Resumo


A educação ambiental crítica vem avançando no sentido de marcar sua diferença com as perspectivas pedagógicas mais conservadoras. Contudo, sob esta denominação, foram englobadas concepções de educação ambiental com fundamentos bastante distintos, como a fenomenologia, a hermenêutica, a dialética idealista, a dialética materialista, a teoria crítica e a complexidade. Diante desta realidade, é necessário definir um posicionamento sobre qual crítica está sendo realizada e com qual objetivo. Assim, apesar da educação ambiental crítica mostrar a necessidade de enfrentar a crise socioambiental, enfrentando a profunda desigualdade social, é importante definirmos a pedagogia histórico-crítica e o materialismo histórico dialético como fundamentos filosófico e pedagógico radicais enquanto caminho concreto possível de enfrentamento necessário na superação dos problemas socioambientais.

Palavras-chave


Pedagogia Histórico-Crítica. Educação Ambiental. Materialismo Histórico Dialético.

Texto completo:

PDF

Referências


AGUDO, Marcela de Moraes. A educação ambiental na formação dos pedagogos: a unidade técnico política. 2017. 269 f. Tese (Doutorado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências. Universidade Estadual Paulista, Bauru. 2017.

AGUDO, Marcela de Moraes; TEIXEIRA, Lucas André. Tendências epistemológicas na pesquisa em educação ambiental em trabalhos do ENPEC. In: X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências (ENPEC), 2015, Águas de Lindóia. Anais... Florianópolis (SC): ABRAPEC, 2015. v. 1.

AGUDO, Marcela de Moraes.; Teixeira, Lucas André. As contribuições da pedagogia histórico-crítica para a educação ambiental crítica. In: PASQUALINI, Juliana Campregher; TEIXEIRA, Lucas André; AGUDO, Marcela de Moraes. (Orgs.). Pedagogia histórico-crítica: legado e perspectivas. 1 ed. Campinas: Navegando, 2018, v. 1, p. 213-234.

BERBEL, Neusi Aparecida Navas. A problematização e a aprendizagem baseada em problemas: diferentes termos ou diferentes caminhos? Interface: Comunicação, Saúde, Educação, v. 2, n. 2, 1998.

DUARTE, Newton. A importância da concepção de mundo para a educação escolar: porque a pedagogia histórico crítica não endossa o silêncio de Wittgenstein. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 7, n. 1, p. 8-25, jun. 2015.

FOLADORI, Guillermo. Bases marxistas para la educación ambiental. Ambiente e Educação, v. 23, n. 3, p. 159-169, 2018.

GRÜN, Mauro. Ética e educação ambiental: a conexão necessária. 11 ed. Campinas: Papirus, 2007.

JUNQUEIRA, Juliana Neves. Por uma educação ambiental histórico-crítica na escola. Tese (Doutorado) – UNESP, Faculdade de Ciências, Programa de Pós-Graduação em Educação para a Ciência. Bauru, 2014.

LAVOURA, Tiago Nicola; MARSÍGLIA, Ana Carolina Galvão. A pedagogia histórico-crítica e a defesa da transmissão do saber elaborado: apontamentos acerca do método pedagógico. Perspectiva, Florianópolis, v. 33, n. 1, 345-376, jan./abr. 2015.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Sustentabilidade e educação: um olhar da ecologia política. São Paulo: Cortez, 2012.

MAIA, Jorge Sobral da Silva; TEIXEIRA, Lucas André; AGUDO, Marcela de Moraes Agudo. Educação ambiental como campo de disputas: a necessária discussão epistemológica. Planeta Amazônia, Macapá, n. 7, p. 75-87, 2015.

MALANCHEN, Julia. O realismo social de Michael Young e a pedagogia histórico-crítica: perspectivas e aproximações na definição de conhecimento escolar. Nuances, v. 29, p. 45-68, 2018.

SAVIANI, Dermeval. Educação: do senso comum à consciência filosófica. 14 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2002.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 9 ed. Campinas: Autores Associados, 2005.

SILVA, Maria Cristina Bolela. A perspectiva crítica nas pesquisas em educação ambiental – dissertações e teses. Dissertação (Mestrado), Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, 2015.

TEIXEIRA, Lucas André; NEVES, Juliana Pereira; SILVA, Fabiane de Paula; TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos; NARDI, Roberto. Referenciais teóricos da pesquisa em educação ambiental em trabalhos acadêmicos. In: VI Encontro Nacional de Pesquisa em educação para a Ciência, 2007, Florianópolis. Anais... São Paulo: ABRAPEC, 2007.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Contribuições para uma pedagogia crítica na educação ambiental: reflexões teóricas. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; TREIN, Eunice; PEDROSA, José Geraldo; TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos; LEHER, Roberto; NOVICKI, Victor. (Orgs.). A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: Quartet, 2007.

TOZONI-REIS, Marília Freitas de Campos. Educação ambiental: natureza, razão e história. 2 ed. Campinas, SP: Autores Associados, 2008.

TREIN, Eunice Schilling. A educação ambiental crítica: crítica de que? Revista Contemporânea de Educação. v. 7, n 14, Rio de Janeiro, 2012.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n26p283-301

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.