Sexualidade e preconceito na formação inicial de professores de Ciências e Biologia: indicativos a partir da pedagogia histórico-crítica

Dianne Cassiano de Souza, Leandro Jorge Coelho, Luciana Maria Lunardi Campos

Resumo


Compreendendo a sexualidade como uma construção sócio histórica, e a escola como um espaço de reprodução de significados sociais e produção de sentidos pessoais acerca da mesma, este texto tem como objetivo refletir sobre as significações atribuídas a sexualidade e preconceito por licenciandos em Ciências Biológicas. São mobilizados dados de duas investigações que identificaram e analisaram essas significações. Defende-se as discussões sobre preconceito e discriminação, e a superação da visão reducionista da sexualidade como conteúdos clássicos necessários à educação escolar atual, sendo importante a formação inicial de licenciandos em Ciências Biológicas para o tratamento dessa temática, fortalecendo a presença dos conhecimentos científicos sobre sexualidade na escola.


Palavras-chave


Sexualidade; Preconceito; Formação de professores; Ciências Biológicas; Pedagogia histórico-crítica

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAMOVAY, Miriam. (Coord.) Revelando tramas, descobrindo segredos: violência e convivência nas escolas. Brasília: Rede de Informação Tecnológica Latino-americana - RITLA, Secretaria de Estado de Educação do Distrito Federal - SEEDF, 2009.

AGUIAR, W. M. J.; OZELLA, S. Núcleos de Significação como instrumento para a apreensão da constituição dos sentidos. Psicologia Ciência e Profissão. Brasília, vol. 26 (2), p. 222-245, 2006.

ASBAHR, Flávia da Silva Ferreira. Sentido pessoal, significado social e atividade de estudo: uma revisão teórica. Revista Quadrimestral da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 265-272, 2014.

BONFIM, Cláudia Ramos de Souza. Educação sexual e formação de professores de Ciências Biológicas: contradições, limites e possibilidades. 267f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Educação, Campinas, 2009.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Ética. Brasília: MEC/SEF, 1997a.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Orientação sexual. Brasília: MEC/SEF, 1997b.

BORGES, Z. N.; MEYER, D. E. Limites e possibilidades de uma ação educativa na redução da vulnerabilidade à violência e à homofobia. Ensaio: Aval. Pol. Públ. Educ., Rio de Janeiro, v. 16, n° 58, p. 59-76, 2008.

CHAUÍ, Marilena. Repressão Sexual: essa nossa (des)conhecida. 12. ed. São Paulo: Editora Brasiliense S. A., 1991.

COELHO, Leandro Jorge. Diversidade sexual e licenciandos em Ciências Biológicas: que professor formamos? 74f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Biológicas). Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Instituto de Biociências, Botucatu, 2011.

COELHO, Leandro Jorge. Diversidade sexual e Ensino de Ciências: buscando sentidos. 155f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru – SP, 2014.

COSTA, Jurandir Freire. Ordem médica e norma familiar. 4ª ed. Rio de Janeiro: Graal, 1999.

DELLA FONTE, Sandra Soares. Fundamentos teóricos da pedagogia histórico-crítica. In: MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão. (Org.). Pedagogia Histórico-Crítica: 30 anos. Campinas: Autores Associados, 2011. p. 23-42.

DINIS, Nilson Fernandes. Educação, relações de gênero e diversidade sexual. Educ. Soc., Campinas, v. 29, n. 103, p. 477-492, 2008.

DUARTE, Newton. A individualidade para si: contribuição a uma teoria histórico-crítica da formação do indivíduo. 3ª ed. Campinas – SP: Autores Associados, 2013.

GATTI, Bernadete Angelina. A representação social do adolescente e da adolescência (Prefácio). In: FERREIRA SALLES, Leila Maria. Adolescência, escola e cotidiano; contradições entre o genérico e o particular. Piracicaba: Editora UNIMEP, 1998.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Currículo heteronormativo e cotidiano escolar homofóbico. Espaço do currículo, v.2, n.2, p.208-230, set./2009 a mar./2010.

JUNQUEIRA, Rogério Diniz. Homofobia nas escolas: um problema de todos. In: JUNQUEIRA, R. D. (Org.) Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009, p. 13-51.

LEONTIEV, Alexis Nikolaevich. O desenvolvimento do psiquismo. Tradução Rubens Eduardo Frias. 2ª ed. São Paulo: Centauro, 2004.

MALANCHEN, Julia. Pedagogia histórico-crítica e saber objetivo versus multiculturalismo e o relativismo no debate curricular atual. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, Salvador, v. 7, n. 1, p. 58-67, 2015.

MARIUZZO, Terezinha. Formação de professores em orientação sexual: a sexualidade que está sendo ensinada nas nossas escolas. 227f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Bauru - SP, 2003.

MARTINS, Ligia Márcia. Pedagogia histórico-crítica e psicologia histórico-cultural. In: MARSIGLIA, Ana Carolina Galvão. (Org.) Pedagogia histórico-crítica: 30 anos. Campinas - SP: Autores Associados, 2011. p. 43-58.

MARX, Karl. Cadernos de Paris; Manuscritos econômicos-filosóficos. São Paulo: Expressão Popular, 2015.

NOGUEIRA, Daniela Macias. Gênero e sexualidade na educação. In: Simpósio sobre Estudos de Gênero e Políticas Públicas, 1. Anais [...] Londrina: Universidade Estadual de Londrina, p. 13-21, 2010.

PAZ, Cláudia Denis Alves da. Gênero e sexualidade: Como trabalhar na escola? In: Fazendo gênero, 10. Anais [...] Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2013.

REIDEL, Marina. Educação para a diversidade Desafios e possibilidades para trabalhar a diversidade sexual na escola. In: Educação e diversidade sexual, Ano XXI Boletim 04, Salto para o Futuro, TV Escola, 2011.

REIS, G. V.; RIBEIRO, P. R. M. A institucionalização do conhecimento sexual no Brasil. In: RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal. (Org.) Sexualidade e educação: aproximações necessárias. São Paulo: Arte & Ciência, 2004. p. 27-72.

RIBEIRO, Paula Rennes Marçal. Os momentos históricos da Educação Sexual no Brasil. In: RIBEIRO, Paulo Rennes Marçal. (Org.) Sexualidade e educação: aproximações necessárias. São Paulo: Arte & Ciência, 2004. p. 15-26.

RIZZATO, Liane Kelen. Professores, professoras e as questões de gênero, sexualidade e homofobia na escola: articulações com formação docente continuada. In: Fazendo Gênero 9 - Diásporas, Diversidades, Deslocamentos. Anais [...] Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2010.

SAVIANI, Dermeval. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11ª ed. Campinas: Autores Associados, 2011.

SILVA, Márcio Magalhães da. Pedagogia histórico-crítica e sexualidade na educação escolar: considerações a partir da análise do tema “Orientação sexual” nos parâmetros curriculares nacionais. Germinal: Marxismo e Educação em Debate, v. 7, n. 1, p. 78-88, 2015.

SILVA, Márcio Magalhães da. A sexualidade como tema pedagógico: análise das propostas do MEC e da UNESCO para a inserção do tema nas escolas. 203f. Dissertação (Mestrado em Educação Escolar) - Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Araraquara - SP, 2013.

SOUSA FILHO, A. Teorias sobre a gênese da homossexualidade: ideologia, preconceito e fraude. In: JUNQUEIRA, Rogério Diniz. (Org.) Diversidade Sexual na Educação: problematizações sobre a homofobia nas escolas. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade, UNESCO, 2009. p. 95-124.

SOUZA, Dianne Cassiano de. A construção histórico social de gênero: significados sociais e sentidos para professoras de Ciências. 143f. Dissertação (Mestrado em Educação para a Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. Bauru – SP, 2018.

SOUZA, Dianne Cassiano de. Significados e sentidos de licenciandos em Ciências Biológicas atribuídos a conceitos de gênero e sexualidade. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Ciências Biológicas). 24f. Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho", Instituto de Biociências. Botucatu - SP, 2015.

SOUZA, L. L.; MENDONÇA, J. J.; DUARTE, J. F.; MEDEIROS, P. A. Práticas educativas de professores em relação à homofobia na escola: contribuições para a discussão. In: ROCHA, S. A. (Org.) Formação de professores: licenciaturas em discussão. Cuiabá: EdUFMT, 2010.

TONIETTE, Marcelo Augusto. Um breve olhar histórico sobre a homossexualidade. Revista Brasileira de Sexualidade Humana. São Paulo: Iglu. vol. 17, n.1, p. 42-52, 2006.

TORRES, Marco Antonio. Orientação sexual e identidade de gênero. Enfrentamentos possíveis à homofobia: orientação sexual e identidade de gênero no contexto da educação. In: Educação e diversidade sexual, Ano XXI Boletim 04, Salto para o Futuro, TV Escola, 2011.

VIGOTSKI, Lev Semyonovich. A Construção do Pensamento e da Linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2000.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n26p365-380

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.