Estimulação neuropsicológica com jogos digitais: intervenção em grupo com crianças e adolescentes com rebaixamento cognitivo

Elizabeth Braga Dias, Ana Maria Amorim Assis de Melo, Camila Barreto Bonfim

Resumo


O objetivo deste trabalho foi analisar a efetividade de um programa de estimulação neuropsicológica em grupo, por meio do uso de games, com crianças e adolescents com rebaixamento cognitive. Foi elaborado um plano terapêutico para estímulo das funções executivas e selecionados 6 games. Participaram do estudo três sujeitos com atendidos numa clínica escola de Psicologia. Trata-se de um estudo de casos múltiplos de modalidade quase-experimental, com alocação não randomizada dos participantes. Verificou-se que todos os participantes obtiveram ganhos cognitivos com a estimulação através dos games, havendo variação na necessidade de mediação entre os participantes. Desta forma, verificou-se que o uso de games para estimulação cognitiva é uma importante ferramenta na intervenção neuropsicológica, especialmente para o desenvolvimento das funções executivas.


Palavras-chave


Estimulação neuropsicológica; games; aprendizagem; funções executivas.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES. L. Relações entre os jogos digitais e aprendizagem: delineando percurso. Educação, formação & tecnologias, [S.L.], v. 1, n. 2, p. 3-10, nov. 2008.

ALVES. L. Práticas inventivas na interação com as tecnologias digitais e telemáticas: o caso do Gamebook Guardiões da Floresta. Revista Educação Pública, Cuiabá, v. 25, n. 59/2, p.574-593, mai./ago. 2016.

BARDIN. L. Análise de conteúdo. Lisboa: Editora Edições 70, 1977.

CARDOSO, C. O. Programas de intervenção neuropsicológica precoce-preventiva: estimulação das funções executivas em escolares. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-Graduação em Psicologia - PUCRS. 2017.

CARIM, D. de B.; FICHMAN, H. C. Reabilitação neuropsicológica dos problemas de atenção e funções executivas. In: FONTOURA, D. R. da. et al. Teoria e Prática na Reabilitação Neuropsicológica.Vetor Editora. Cap. 10, p.149-169. 2017.

CERQUEIRA, L. C. et al. Seleção de jogos digitais para estimulação cognitiva de idosos. In: XIII Seminário de Jogos Eletrônicos, Educação e Comunicação, v. 3, n. 1, 2019.

DIAS, N. M.; SEABRA, A. G. Funções executivas: desenvolvimento e intervenção. Temas sobre Desenvolvimento. 2013; 19(107): 206-12.

DÓREA, M. de F. et al. Estratégias motivacionais: diálogo entre a Teoria do Flow e o GB. Anais do Seminário de Jogos Eletrônicos, Educação e Comunicação, v. 2, n. 2, 2017.

FUENTES et al. Neuropsicologia: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed, 2008.

GINDRI, G. et al. Métodos em reabilitação neuropsicológica. Métodos em neurociência. Barueri-SP: Manole, p. 343-75. 2012

GONÇALVES, Y. R. Intervenção neuropsicológica para flexibilidade cognitiva em adolescentes com transtornos do espectro do autismo. Dissertação (Mestrado em Psicologia) - Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2014.

GUERRA, L. B. et al. Neuropsicologia e educação: perspectiva transdisciplinar. Avanços em Neuropsicologia: das pesquisas à aplicação clínica. São Paulo: Livraria Santos Editora, 2007, p. 207-219.

GUIMARÃES, P. et al. Uma análise das possíveis contribuições do Gamebook Guardiões da Floresta para estimulação das funções executivas. In: Simpósio Brasileiro de Games e Entretenimento Digital. São Paulo: SBgames, 8 a 10 set. 2016.

HAMDAN, et al. Avaliação e reabilitação neuropsicológica: desenvolvimento histórico e perspectivas atuais. Interação em Psicologia, v. 15, 2011.

HAZIN et al. Contribuições da neuropsicologia de A. R. Luria para o debate contemporâneo das relações mente-cérebro. Mnemosine.v. 6, n.1, p.88-110. 2010

JESUS, M. G. de; ALVES, L. R. G. Jogos Digitais e Estimulação de Funções Executivas: Experiência com o Gamebook Guardiões da Floresta. In: XIII Seminário Jogos Eletrônicos, Educação e Comunicação, v. 3, n. 1, 2019.

LUCIANO, M. F. D. Um estudo sobre motivação entre o Minecraft e o Gamebook

Guardiões da Floresta. XVII SBGames – Foz do Iguaçu-PR, Out.-Nov. 2018.

LURIA, Alexsandr. A construção da mente. São Paulo: Ícone, 1992.

MALLOY-DINIZ et al. Avaliação neuropsicológica. Artmed. Porto Alegre, 2010.

MANSUR-ALVES, M., FLORES-MENDONZA, C. & TIERRA-CRIOLLO, C. J. Evidências Preliminares da Efetividade do Treinamento Cognitivo para Melhorar a Inteligência de Crianças Escolares. Psicologia: Reflexão e Crítica, 26(3), 423-434. 2013

MINAYO, M. C. de S.; SANCHES, O. Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade?. Cadernos de saúde pública, v. 9, p. 237-248, 1993.

MINAYO, M. C. de S. (org.). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001.

MONTEIRO, M. de F.; BATISTELA, S.; BOLOGNANI, S. Reabilitação neuropsicológica dos problemas de memória. In: FONTOURA, D. R. da. et al. Teoria e Prática na Reabilitação Neuropsicológica. Vetor Editora, 2017. Cap. 9, p. 129-145.

PASSERINO, L. M. Pessoas com Autismo em Ambientes Digitais de Aprendizagem: estudo dos processos de Interação Social e Mediação. Tese de doutorado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul: Porto Alegre-RS: 2015.

RAMOS, D. K. et al. O uso de jogos cognitivos no contexto escolar: contribuições às funções executivas. Psicol. Esc. Educ., Maringá, v. 21, n. 2, p. 265-275, Ago. 2017.

RAMOS, D. K. Cognoteca: Uma Alternativa Para O Exercício De Habilidades Cognitivas, Emocionais E Sociais No Contexto Escolar. Revista Da FAEEBA - Educação E Contemporaneidade, 41(23), 63-75. 2014.

RAMOS, D. K.; MELO, H. Jogos digitais e desenvolvimento cognitivo: um estudo com crianças do Ensino Fundamental. Revista Neuropsicologia Latinoamericana, [S.L.], v.8, n.3, p. 22-32. 2016.

ROCHA, P.; NERY FILHO, J. & ALVES, L. R. G. Jogos digitais e reabilitação neuropsicológica: delineando novas mídias. Anais do Seminário Tecnologias Aplicadas à Educação e Saúde, v. 1, n. 1. 2014.

SILVESTRE, A. L. Análise de dados e estatística descritiva. Escolar editora, 2007.

TOURINHO, A. Gamebook Guardiões da Floresta: um ambiente interativo para estimular as funções executivas. Dissertação (mestrado) - Universidade do Estado da Bahia. Programa de Pós Graduação em Educação e Contemporaneidade - PPGEDUC. 2018.

TOURINHO, A.; BONFIM, C. B.; ALVES, L. R. G. Games, TDAH e Funções Executivas: Uma Revisão da Literatura. Simpósio Brasileiro de Jogos e Entretenimento Digital (SBGames) 873-879. 2016.

VYGOTSKI, L. S. A formação social da mente. Editora Ltda. São Paulo - SP 4ª edição brasileira. 153.65 - V631. 1991.

WEISZFLOG, W.; TREVISAN, R. Michaelis dicionário brasileiro da língua portuguesa. São Paulo: Melhoramentos, 2015.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p477-498

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.