Do algodão doce à bomba atômica: avaliações e aspirações do aprender pela pesquisa no ensino de Química

Everton Bedin

Resumo


Este artigo ajuíza sobre quatro indagações relacionadas aos processos de ensino e aprendizagem embasados na metodologia Dicumba (Desenvolvimento Cognitivo Universal-bilateral da Aprendizagem) por meio de uma avaliação discente frente ao ensino de química expresso a partir do Aprender pela Pesquisa. A Dicumba é uma metodologia de ensino que trabalha expressivamente com a pesquisa enquanto princípio pedagógico em sala de aula, possibilitando ao aluno aprender a partir do próprio interesse. Para responder as questões que nortearam este texto, observou-se o desenvolvimento de uma atividade à luz da Dicumba em uma escola estadual do Estado do Rio Grande do Sul; os dados foram coletados por meio da observação, da aplicação de um questionário estruturado e da pesquisa entregue pelo aluno. Estes dados, analisados de forma quali-quantitativa, foram expressos por meio de gráficos e tabelas, discutidos à luz de teóricos da área de Ensino de Química. Ao término, percebeu-se que a Dicumba é uma forma significativa de qualificar e maximizar os processos de ensino e aprendizagem e a formação docente continuada, proporcionando aos sujeitos a construção da argumentação, da autonomia e da criticidade. 


Palavras-chave


Dicumba, Ensino de Química, Formação Docente.

Texto completo:

PDF

Referências


BEDIN, E. A emersão da interdisciplinaridade no ensino médio politécnico: relações que se estabelecem de forma colaborativa na qualificação dos processos de ensino e aprendizagem à luz das tecnologias de informação e comunicação. Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências: química da vida e da terra, UFRGS, Porto Alegre, 2015. Disponível em: https://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/126836. Acessado em: 18 jan. 2020.

BEDIN, E. Filme, experiência e tecnologia no ensino de ciências química: uma sequência didática. Revista de Educação, Ciências e Matemática, v. 9, n. 1, 2019. Disponível em: . Acesso em: 22 jan. 2020.

BEDIN, E.; DEL PINO, J. C. DICUMBA: A uma proposta metodológica de ensino a partir da pesquisa em sala de aula. Ensaio Pesquisa em Educação em Ciências (Belo Horizonte), v. 21, 2019a. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2020.

BEDIN, E.; DEL PINO, J. C. Das Incertezas às Certezas da Pesquisa não Arbitrária em Sala De Aula Via Metodologia Dicumba. Currículo sem Fronteiras, v. 19, n. 3, p. 1358-1378, 2019b. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2020.

BEDIN, E; DEL PINO, J. C. Dicumba - el aprender por la investigación en el aula: los saberes científicos de química en el contexto sociocultural del alumno. Góndola, enseñanza y aprendizaje de las ciencias, v. 13, n. 2, 2018a. Disponível em: . Acesso em: 8 jan. 2020.

BEDIN, E; DEL PINO, J. C. A metodologia Dicumba como uma tempestade de possibilidades para o desenvolvimento do ensino de Química. Revista Brasileira De Ensino De Ciências E Matemática, Passo Fundo, v. 1, n. 1, p. 65-84, jan./jun. 2018b. Disponível em: . Acesso em: 8 jan. 2020.

BEDIN, E.; DEL PINO, J. C. Interações e intercessões em rodas de conversa: espaços de formação inicial docente. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 99, n. 251, 2018c. Disponível em: . Acesso em: 15 jan. 2020.

DEMO, P. Educação hoje: "novas" tecnologias, pressões e oportunidades. São Paulo: Atlas, 2009.

ELLIOTT, J. Towards a synoptic vision of educational change in advanced industrial societies. In: ALTRICHER, H.; ELLIOT, J. Images of educational change. Buckingham: Open University Press, 2000.

ENS, R. T. O significado da pesquisa segundo professores formadores. In: 29 Reunião da ANPED, Caxumba, Minas Gerais, 2006.

FINGER, I.; BEDIN, E. A contextualização e seus impactos nos processos de ensino e aprendizagem da ciência química. Revista Brasileira de Ensino de Ciências e Matemática, v. 2, n. 1, p. 8-24, 2019. Disponível em: . Acesso em: 20 jan. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33ª ed. São Paulo: Paz e Terra; 2006. In: MITRE, S. M. et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciência & saúde coletiva, v. 13, p. 2133-2144, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/csc/v13s2/v13s2a18.pdf>. Acesso em: 7 jan. 2020.

FREIRE, P. Pedagogia do oprimido. 46ª. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 2007.

FREIRE, A. M. Reformas curriculares em ciências e o ensino por investigação. Actas do XIII Encontro Nacional de Educação em Ciências, Castelo Branco, 2009.

GALIAZZI, M. do C.; MORAES, R. Educação pela pesquisa como modo, tempo e espaço de qualificação da formação de professores de ciências. Ciência & Educação (Bauru), v. 8, n. 2, p. 237-252, 2002. Disponível em: . Acesso em: 7 jan. 2020.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA, 2008.

MORAES, R.; RAMOS, M. G.; GALIAZZI, M. C. Pesquisar e aprender em educação Química: alguns pressupostos teóricos. Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, v. 1, n. 1, p. 57-64, 2004. Disponível em: . Acesso em: 18 jan. 2020.

RANGEL, F. Z.; BEDIN, E.; DEL PINO, J. C. Dicumba-uma metodologia para o Ensino de Química: avaliação, tendência e perspectiva. Anais... XIIENPEC Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal/RN, 2019. Disponível em: . Acesso em: 13 fev. 2020.

ROGERS, C. R. Some observations on the org anization of personality, 2003.

TRESPACH, R. R.; GUNTZEL, B.; BEDIN, E. Análise química sobre ferramentas tecnológicas para ensinar química na Educação Básica à alunos surdos. Tecné Episteme y Didaxis: TED, 2016. Disponível em: . Acesso em 05 jan. 2020.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e pesquisa, v. 31, n. 3, p. 443-466, 2005. Disponível em: . Acesso em: 13 jan. 2020.

VYGOTSKY, L. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 3ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1989.

WARTHA, E. J.; SILVA, E. da; BEJARANO, N. R. R. Cotidiano e contextualização no ensino de Química. Química nova na escola, v. 35, n. 2, p. 84-91, 2013. Disponível em: . Acesso em: 17 jan. 2020.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p236-253

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.