Inversão sob medida

uma fusão das metodologias Sala de aula invertida e Just-in-time teaching

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2022v14n36p423-443

Palavras-chave:

ensino de química, Sala de Aula Invertida, Just-in-Time Teaching, Observação

Resumo

Nesse artigo apresenta-se as potencialidades da fusão metodológica entre as metodologias ativas Sala de Aula Invertida (SAI) e Just-in-Time Teaching (JiTT) à luz das Tecnologias Digitais (TD). A fusão foi aplicada no ensino de química na Educação Básica para alunos da primeira série do ensino médio, em uma escola privada de Curitiba/PR. Essa pesquisa, de abordagem qualitativa e de procedimento pesquisa-ação, cuja observação foi o principal instrumento de construção de dados, revela, além das ações docentes e discentes na fusão metodológica, a exigência de planejamento, empatia, autonomia e empenho, modificando a estrutura tradicional de desenvolver os processos de ensinar e de aprender.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rafael Camargo, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Possui graduação em Tecnologia Em Quimica Ambiental pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná(2011) e graduação em Química pela Universidade Federal do Paraná(2017). Atualmente é Professor do Colégio Imaculada Conceição, Professor do Curso Pré-Vestibular Domínio e Professor do Curso Pré-Vestibular Mais Federal e mestrando em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM) pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Tem experiência na área de Química

Everton Bedin, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Graduado em Química Licenciatura Plena pela Universidade de Passo Fundo - UPF (2009). Especialista em Tecnologia de Informação e Comunicação na Educação - TICEDU - pela Universidade Federal de Rio Grande - FURG (2014), Gestão Educacional pela Universidade Federal de Santa Maria - UFSM (2018). Mestre em Educação em Química pela Universidade Federal de Uberlândia - UFU (2012). Doutor e Pós-Doutor em Educação em Ciências: química da vida e saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS (2015). Atualmente é professor permanente no Departamento de Química da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e nos Programas de Pós-graduação em Educação em Ciências e em Matemática (PPGECM), onde atua como Vice-Coordenador, e no Mestrado Profissional em Química em Rede Nacional (PROFQUI). Possui experiência na área de Química com ênfase em Química, trabalhando, principalmente, nos temas: formação docente, ensino-aprendizagem, TICs, interdisciplinaridade e metodologias de ensino.

Referências

ALVES, F. C. Diário-um contributo para o desenvolvimento profissional dos professores e estudo dos seus dilemas. Millenium, p. 222-239, 2004.

ARAÚJO, I. S., MAZUR, E. Instruções pelos colegas e ensino sob medida: uma proposta para o engajamento dos alunos no processo de ensino-aprendizagem de física. Cad. Bras. Ens. Fís. v. 30, n. 2, 2013.

BEDIN, E. Como Ensinar Química?. Revista Diálogo Educacional, v. 21, n. 69, 2021a. https://doi.org/10.7213/1981-416X.21.069.AO09

BEDIN, E. Por que Ensinar Química?. Currículo sem Fronteiras, v. 21, n. 3, p. 1639-1654, set./dez. 2021b. http://dx.doi.org/10.35786/1645-1384.v21.n3.33

BISHOP, J.; VERLEGER, M. A. The flipped classroom: A survey of the research. In: ASEE Annual Conference & Exposition. 2013. p. 1-23.

BOGDAN, R. IKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto, Portugal: Porto, 1994.

CORREIA, M. C. B. A observação participante enquanto técnica de investigação. Pensar enfermagem, v. 13, n. 2, p. 30-36, 2009.

DANNA, M. F.; MATOS, M. A. Aprendendo a observar. São Paulo: Edicon, 2006.

FONSECA, J. J. S. Metodologia da pesquisa científica. Fortaleza: UEC, 2002.

FERRARINI, R.; SAHEB, D.; TORRES, P. L. Metodologias ativas e tecnologias digitais: aproximações e distinções. Revista Educação em Questão, [S. l.], v. 57, n. 52, 2019.

KEMMIS, S. C; MCTAGGART, Robin. Como Planificar La InvestigaciónAccion. 3ª ed. Barcelona: Alertes, 1998.

KNUTH, L R. Possibilidades no ensino de geografia: o uso de tecnologias educacionais digitais. 2016. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Pelotas.

MORAN, J. Metodologias ativas para uma aprendizagem mais profunda. Porto Alegre: Penso, p. 02-25, 2018.

NOVAK, G. M.; PATTERSON, E. T.; GAVRIN, A. D.; CHRISTIAN, W. Just-intime-teaching: blending active learning with web technology. Upper Saddle River, N.J. Prentice-Hall, 1999.

NOVAK, G. M.; MIDDENDORF, J. Just-in-Time Teaching: 21st Century Pedagogies. What works, what matters, what lasts. V. 4, 2004.

SCHNEIDERS, L. A. O método da sala de aula invertida (flipped classroom). Lajeado: Ed. da Univates, 2018.

VALENTE, J. A. A sala de aula invertida e a possibilidade do ensino personalizado: uma experiência com a graduação em midialogia. Porto Alegre: Penso, p. 26-44, 2018.

Downloads

Publicado

2022-12-23

Como Citar

CAMARGO, Rafael; BEDIN, Everton. Inversão sob medida : uma fusão das metodologias Sala de aula invertida e Just-in-time teaching. Debates em Educação, [S. l.], v. 14, n. 36, p. 423–443, 2022. DOI: 10.28998/2175-6600.2022v14n36p423-443. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/13744. Acesso em: 20 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigos

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.