ProfEPT no IFPR: cenário atual, desafios e perspectivas

Autores

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2019v11n24p546-563

Palavras-chave:

Mestrado Profissional, Pesquisa, Inovação, Formação Profissional, ProfEPT.

Resumo

Este artigo objetiva apresentar a trajetória do Mestrado Profissional em Educação Profissional (ProfEPT) no Instituto Federal do Paraná (IFPR) e as percepções dos estudantes da primeira turma em relação aos desafios e perspectivas dessa oferta com vistas na formação, na pesquisa e na inovação tecnológica. Está organizado de maneira descritiva e fundamentado na análise documental e na aplicação de questionários. O ProfEPT se propõe a: I) ofertar formação continuada numa perspectiva interdisciplinar e em nível de mestrado; II) promover o desenvolvimento de trabalhos de investigação na perspectiva de melhoria dos processos educativos e de gestão e; III) atender a demanda nacional por formação de recursos humanos em cursos de pós-graduação stricto sensu, com vistas ao desenvolvimento de pesquisas que integrem os saberes práticos inerentes ao mundo do trabalho ao conhecimento sistematizado e interdisciplinar. Assim sendo, tem-se como resultado, que os desafios postos para o ProfEPT se constituem também como grandes perspectivas na busca de caminhos que contribuam para o processo de formação autônoma, emancipatória e comprometida com a formação de cidadãos críticos e produtores de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mércia Freire Rocha Cordeiro Machado, Instituto Federal do Paraná (IFPR)

Possui Licenciatura em Educação Física pela Universidade Federal do Amazonas (1990), Especialização em Formação de Professores em Educação a Distância pela Universidade Federal do Paraná (2001), Especialização em Exercício e Qualidade de Vida pela Universidade Federal do Paraná (2001), Mestrado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2011) e Doutorado em Educação pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2016). Atualmente é professora do ProfEPT do Instituto Federal do Paraná e pesquisadora da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Tem experiência na área de Educação, atuando principalmente nas temáticas: educação a distância, educação profissional e tecnológica, formação de professores, mediação pedagógica e aprendizagem a distância. 

Sandra Terezinha Urbanetz, Instituto Federal do Paraná (IFPR)

Graduação em Pedagogia pela Universidade Tuiuti do Paraná (1991). Mestrado em Educação pela Universidade Federal do Paraná (2000). Doutorado na Universidade Federal do Paraná, na área de Educação e Trabalho (2011). Pós Doutorado pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Programa de Pós-Graduação em Políticas Públicas e Formação Humana (PPFH - 2013-2014). Pós Doutorado pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto - Portugal (2015). Professora concursada do Instituto Federal do Paraná (2010), Campus Curitiba, professora da Pós Graduação em Educação Profissional Técnica em Nível Médio, disciplina: Trabalho e Educação. Docente da Pós Graduação em Educação Profissional Técnica em Nível Médio e do Programa de Mestrado em Educação Profissional - ProfEPT, disciplina: Bases Conceituais da EPT. Diretora de Ensino Médio e Técnico - PROENS. Coordenadora do Grupo de Pesquisa: Trabalho, Educação e Tecnologia Social - TRETS. Projetos de Pesquisa: Formação de Professores e Os egressos do Ensino Médio Técnico. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Didática e Formação de Professores, atuando principalmente nos seguintes temas: Trabalho e Educação, Formação de Professores e Educação Profissional.

Leandro Rafael Pinto, Instituto Federal do Paraná (IFPR)

Doutor em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPR (2011 - 2015). Mestre em Geografia pelo Programa de Pós-Graduação em Geografia da UFPR (2007 - 2009). Graduado em Geografia pela Universidade Federal do Paraná (Bacharelado e Licenciatura 2003 - 2006). Tem experiência na área de Geografia, com ênfase em Geografia Física, Geografia Médica e da Saúde, Ensino da Geografia e Geografia Socioambiental, Climatologia Geográfica, Epistemologia da Geografia e Metodologia Científica, além de Educação e Ensino, em especial Educação Profissional e Tecnológica.. Desde 2013 é Professor do Instituto Federal do Paraná - Campus Curitiba, atuando desde 2016 como docente e coordenador local do Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT) - IA IFPR/Curitiba.

Referências

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BRASIL, MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Instituto Federal do Espírito Santo. Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica. Anexo ao Regulamento. 2017. 25 p.

CAPES. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Diretoria de Avaliação. Documento de Área - Ensino. 2016.

CIAVATTA, M. Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 41-65. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em: http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 11 dez. 2017.

CIAVATTA, M. Universidades tecnológicas: horizonte dos Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFETS)? In: MOLL, Jaqueline et al. Educação profissional e tecnológica no Brasil contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.

CUNHA, M. I. Políticas públicas e docência na universidade. In: CUNHA, M. I. (Org). Formatos avaliativos e concepção de docência. Campinas, SP: Autores Associados, 2005. - (Coleção educação contemporânea).

CUNHA, M. I. Aprendizagem da docência em espaços institucionais: é possível fazer avançar o campo da formação de professores? Revista Avaliação, Campinas; Sorocaba, SP, v. 19, n. 3, p. 789-802, nov. 2014.

FREITAS, R. C. O. Palestra: Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica em Rede Nacional. Seminário de Alinhamento do ProfEPT. São Paulo/SP: Instituto Federal de São Paulo, 10 de março de 2017.

FRIGOTTO, G. A polissemia da categoria trabalho e a batalha das ideias nas sociedades de classe. Revista Brasileira de Educação. v. 14, n. 40. jan/abr. 2009. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/rbedu/v14n40/v14n40a14.pdf>. Acesso em 23 jul. 2018.

KUENZER, A. Z. Mesa Redonda: Formação de professores para a educação profissional e tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 19-40. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em: <http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287>. Vários acessos

LEÃO, G. M. C., JACOMEL, M. C. W., & TAVARES, V. S. O compromisso do IFPR com o Ensino Profissional Tecnológico no Estado do Paraná. Revista Educação e Políticas em Debate, Uberlândia, v. 3, n. 1, p. 176-192. 2014. Disponível em: http://www.seer.ufu.br/index.php/revistaeducaopoliticas/article/view/27691/15172. Acesso em: 21 jul. 2017.

MACHADO, L. R. de S. Diferenciais inovadores na formação de professores para a educação profissional. In: Revista Brasileira da Educação Profissional e Tecnológica, v.1, n. 1. Brasília-DF: MEC/SETEC, p. 8-22, 2008a. Disponível em http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf3/rev_brasileira.pdf. Acesso em: 26 nov. 2018.

MACHADO, L. R. de S. Formação de Professores para a Educação Profissional e Tecnológica: perspectivas históricas e desafios contemporâneos. In: MEC/INEP. (Org.). Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. 1ª ed. Brasília: MEC/INEP, 2008b, v. 8, p. 67-82. Disponível em http://portal.inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 26 nov. 2018.

MACHADO, L. R. de S. O desafio da formação dos professores para a EPT e PROEJA. Revista Educação e Sociedade. Campinas, v. 32, n. 116, p. 689-704, jul.-set. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/es/v32n116/a05v32n116.pdf. Acesso em: 04 dez. 2018.

MOURA. D.H. Educação básica e educação profissional e tecnológica: dualidade histórica e perspectiva de integração. Holos, Natal, v.2, p.1-27, 2007. Disponível em: http://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/viewFile/11/110. Acesso em 03 set. 2017.

MOURA. D.H. A formação docente para uma educação profissional e tecnológica socialmente produtiva. In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 193-223. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em:http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 11 dez. 2017.

MOURA. D.H. Trabalho e formação docente na educação profissional. Curitiba: Instituto Federal do Paraná, 2014 - (Coleção formação pedagógica; v. 3). Disponível em: http://curitiba.ifpr.edu.br/wp-content/uploads/2016/05/Trabalho-e-Forma%C3%A7%C3%A3o-Docente.pdf. Acesso em 25 nov. 2018.

PACHECO, E. Os Institutos Federais: uma revolução na Educação Profissional e Tecnológica. Brasília, 2011. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf/insti_evolucao.pdf. Acesso em: 21 jul. 2017.

PEÇANHA, NILO. Plataforma Nilo Peçanha. Tipos de Curso. Disponível em: <https://www.plataformanilopecanha.org/>. Acesso em: 12 de novembro de 2018.

PIMENTA, S. G; ANASTASIOU, L. das G. C. Docência no Ensino Superior. 5 ed. São Paulo: Cortez, 2011. - (Coleção Docência em Formação).

RAMOS, M. N. Concepção do Ensino Médio Integrado. [s.d.].[Documento Eletrônico]. Disponível em: https://tecnicadmiwj.files.wordpress.com/2008/09/texto-concepcao-do-ensino-medio-integrado-mariseramos1.pdf Acesso em: 06 ago. 2017.

RIBEIRO, R. J. O mestrado profissional na política atual da Capes. Revista Brasileira de Pós-graduação, v. 2, n. 4, p. 8-15, 2005.

SANTOS, E. H. Mesa Redonda: Formação de professores para a educação profissional e tecnológica no âmbito da legislação educacional brasileira e do ensino superior no Brasil. In: BRASIL. Formação de Professores para Educação Profissional e Tecnológica. Brasília: INEP, 2008, p. 125-139. (Coleção Educação Superior em Debate, 8). Disponível em: http://inep.gov.br/informacao-da-publicacao/-/asset_publisher/6JYIsGMAMkW1/document/id/492287. Acesso em: 11 dez. 2017.

URBANETZ, S. T. Uma ilustre desconhecida: a formação docente para a educação profissional. Revista Diálogo Educacional, [S.l.], v. 12, n. 37, p. 863-883, jul. 2012. ISSN 1981-416X. Disponível em: <https://periodicos.pucpr.br/index.php/dialogoeducacional/article/view/4786/4744>. Acesso em: 22 abr. 2018.

RIBEIRO, E. A. W.; SUHR, I. R. F.; BATISTA, B. N. Desafios da Pós-graduação em Educação Profissional e Tecnológica: entrevista com Rony Cláudio de Oliveira Freitas. Revista Debates em Educação: Maceió, 2019. Disponível em: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6823/pdf Acesso em: 22 abr. 2018.

Downloads

Publicado

2019-08-31

Como Citar

MACHADO, Mércia Freire Rocha Cordeiro; URBANETZ, Sandra Terezinha; PINTO, Leandro Rafael. ProfEPT no IFPR: cenário atual, desafios e perspectivas. Debates em Educação, [S. l.], v. 11, n. 24, p. 546–563, 2019. DOI: 10.28998/2175-6600.2019v11n24p546-563. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/6894. Acesso em: 25 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê “Práticas, pesquisas e reflexões sobre a educação profissional, científica e tecnológica no Brasil"

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.