Potencialidades da Série de Tv Zoo para o ensino de Biologia

David Santana Lopes, Lynn Rosalina Gama Alves

Resumo


Este artigo objetivou analisar de que forma uma narrativa seriada pode figurar como eixo norteador na elaboração de sequências didáticas com conteúdos de Biologia. Para isso, foram discutidas diversas características quanto às possibilidades de adoção das narrativas seriadas como forma de potencializar o processo de Ensino de Biologia. A série de Tv Zoo foi escolhida como objeto de estudo graças ao seu diálogo com a Biologia, sendo investigada a partir da Análise Fílmico-Compreensiva da Narrativa Seriada. Em suma, além da concepção de uma sequência didática, foram apresentadas também as potencialidades de uma narrativa seriada para o Ensino da Biologia ao valorizar as subjetividades estudantis em detrimento da corriqueira abordagem conteudista presente no Ensino das Ciências.


Palavras-chave


Ensino de Biologia; Narrativas Seriadas; Sequência Didática

Texto completo:

PDF

Referências


ALCOCK, John. Comportamento animal: uma abordagem evolutiva. 9. ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.

ALMOULOUD, Saddo. Integração de Tecnologias Digitais no Ensino: Reflexões Sobre Práticas e Formação de Professores. Debates em Educação, Maceió, v. 10, n. 22, p. 205-230, set./dez. 2018.

ALVES, Lynn; MOREIRA, Antônio. Tecnologias e Aprendizagens: delineando novos espaços de interação. Salvador: EDUFBA, 2017.

AZUBEL, Larissa. Análise Fílmico-Compreensiva da Narrativa Seriada: Uma Proposta Metodológica para Ler o Imaginário em Séries de Tv. Revista GEMInIS, São Carlos, v. 9, n. 2, p. 29-45, ago. 2018.

BADII, Irene. Psicología, bioética y narrativa cinematográfica: un análisis cualitativo de producciones de estudiantes. Revista Latinoamericana de Bioética, Bogotá, v. 16, n. 2, p. 16-39, jul./dez. 2016.

BICCA, Angela et al. Identidades Nerd/Geek na web: um estudo sobre pedagogias culturais e culturas juvenis. CONJECTURA: filosofia e educação, Caxias do Sul, v. 18, n. 1, p. 87-104, jan./abr. 2013.

BIZZO, Nélio. História da Ciência e Ensino da Ciência: instrumentos para a prática e a pesquisa escolar. In: CHASSOT, Attico; BIZZO, Nélio; ARANTES, Valéria (Org.). Ensino de ciências: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2013. p. 14-21

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Resolução CNE/CP nº 2, de 22 de dezembro de 2017. Institui e orienta a implantação da Base Nacional Comum Curricular, a ser respeitada obrigatoriamente ao longo das etapas e respectivas modalidades no âmbito da Educação Básica. Brasília: MEC, 2017. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/historico/RESOLUCAOCNE_CP222DEDEZEMBRODE2017.pdf. Acesso em: 27 jun. 2019.

BRASIL. Secretaria de Educação Básica. Orientações curriculares para o Ensino Médio: Ciências da Natureza e suas tecnologias. Brasília: MEC/SEMTEC, 2006. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf. Acesso em: 22 jun. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais para o Ensino Médio +. Brasília, DF, 2002. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/CienciasNatureza.pdf. Acesso em: 20 jun. 2019.

CHASSOT, Attico; BIZZO, Nélio; ARANTES, Valéria. Ensino de Ciências: pontos e contrapontos. São Paulo: Summus, 2013.

CONRADO, Dália; NUNES-NETO, Nei; EL-HANI, Charbel. Argumentação Sobre Problemas Socioambientais no Ensino de Biologia. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 31, n. 1, p.329-357, jan./mar. 2015.

DELIZOICOV, Demétrio; ANGOTTI, José; PERNAMBUCO, Marta. Ensino de Ciências: fundamentos e métodos. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2018.

FILHO, Claudemir; ANTEDOMENICO, Edilson. A perícia criminal e a interdisciplinaridade no ensino de ciências naturais. Química nova na escola, São Paulo, v. 32, n. 2, p. 67-72, mai. 2010.

FLICK, Uwe. Introdução à pesquisa qualitativa. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009

.

FREITAS, Wagner. O olhar complexo do licenciando em ciências biológicas sobre o transplante cardíaco e a série médica House MD como instrumento de potencialização do processo de ensino-aprendizagem. 2016. 163 f. Mestrado em Ensino de Ciências – Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, 2016.

GADOTTI, Moacir. Educação e poder-introdução à pedagogia do conflito. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2003.

JENKINS, Henry; FORD, Sam; GREEN, Joshua. Cultura da conexão. São Paulo: Aleph, 2014.

LÉVY, Pierre. Cibercultura. 3. ed. São Paulo: Editora 34, 2014.

MARANDINO, Martha; SELLES, Sandra; FERREIRA, Márcia. Ensino de Biologia: histórias e práticas em diferentes espaços educativos. São Paulo: Cortez, 2011.

MARTINO, Luís. Teoria das mídias digitais: linguagens, ambientes e redes. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2014.

MARTINS, Isabel; NASCIMENTO, Tatiana; ABREU, Téo. Clonagem na sala de aula: um exemplo do uso didático de um texto de divulgação científica. Investigações em ensino de ciências, Porto Alegre, v. 9, n. 1, p. 95-111, jul. 2016.

MATTOS, Cristine. Narrativa Seriada e Comunicação: Meios, Modos e Tempos. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, Belo Horizonte, v. 11, n. 3, p. 268-280, set./dez. 2018.

MATTOS, Thamires; TOMAZ, Tales. Ficção Audiovisual e Bioética: uma análise da comodificação do humano em Orphan Black. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO, 40., 2017, Curitiba. Anais eletrônicos [...]. Curitiba: UP, 2017, p. 1-14.

NAVAS, Ana; MARANDINO, Martha. Dimensión política de la popularización de la ciencia y la tecnología en América Latina. El caso de Brasil. Ciencias, v. 96, n. 1, out./dez. 2009.

PALAZZO, Daniela. O Corpo Feminino na Série de TV Girls. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO, 10., 2013, Florianópolis. Anais eletrônicos [...]. Florianópolis: UFSC, 2013.

PEREIRA, Aline et al. Luz, Câmera... Ciência: Abordando as Ciências e suas relações através do filme “Interestelar” e da série “The Big Bang Theory”. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS, 11., 2017, Florianópolis. Anais eletrônicos [...]. Florianópolis: UFSC, 2017.

PRATES, Crislaine; GEBARA, Sâmya; RÉ-POPPI, Nilva. Análise de Pesticidas Organoclorados em Água Usando a Microextração em Fase Sólida por Headspace com Cromatografia Gasosa e Espectrometria de Massas. Quim. Nova, São Paulo, Vol. 34, n. 7, p. 1260-1264, abr. 2011.

RÜDIGER, Francisco. As teorias da cibercultura: perspectivas, questões e autores. 2. ed. Porto Alegre: Sulina, 2016.

SUISSO, Carolina; NASCIMENTO, Tatiana. Relações entre leitura, escrita e alfabetização/letramento científico: um levantamento bibliográfico em periódicos nacionais da área de ensino de ciências. Ciência & Educação, Bauru, v. 21, n. 4, p. 991-1009, abr. 2015.

TOWNSEND, Colin; BEGON, Michael; HARPER, John. Fundamentos em Ecologia. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2009.

YAMIL, Karima; OSÓRIO, María. Prácticas de participación en comunidades virtuales de fans: fandom y amino. 2018. 116 f. Mestrado em Comunicação – Pontificia Universidad Javeriana, Programa Académico de Comunicación, Santiago de Cali, 2018.

ZABALA, Antoni. Enfoque globalizador e pensamento complexo: uma proposta para o currículo escolar. Porto Alegre: Artmed, 2002.

ZABALA, Antoni. A prática educativa: como ensinar. Porto Alegre: Penso Editora, 2015.




DOI: https://doi.org/10.28998/2175-6600.2020v12n27p685-702

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

_________________________________________________________________________________________________________________________

CONTATO:

E-mail: debatesemeducacao@gmail.com

Universidade Federal de Alagoas – UFAL
Centro de Educação – CEDU
Programa de Pós-graduação em Educação – PPGE
Campus A. C. Simões
Av. Lourival Melo Mota, s/n - Tabuleiro do Martins
57072-900 - Maceió - AL, Brasil.
Telefone: +55 82 3214 1196
Link: http://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/

ISSN ELETRÔNICO: 2175-6600

DOI (Digital Object Identifier - Identificador de Objeto Digital)

Em 14 de dezembro de 2017, a Revista Debates em Educação passou a atribuir o DOI às suas publicações, padrão para identificação de documentos em redes digitais. 

Prefixo: 10.28998/2175-6600

QUALIS/CAPES (2013 - 2016):

– Ensino B1
– Interdisciplinar B4
– Letras / Linguística B4
– Psicologia B4
– Comunicação e Informação B4
– Sociologia B4
– Educação B5

PERIODICIDADE – QUADRIMESTRAL

De 2009 a 2016, a periodicidade da Revista Debates em Educação era semestral. A partir de 2017, a revista se tornou quadrimestral, de acordo com as datas abaixo:

– Primeiro quadrimestre: jan./abr. - limite para publicar a edição 30 abril.
– Segundo quadrimestre: maio/ago. - limite para publicar a edição 31 agosto.
– Terceiro quadrimestre: set./dez. - limite para publicar a edição 31 dezembro.

Os dizeres acima dizem respeito somente à data de publicação da edição e não ao envio de artigos.

O recebimento de artigos caracteriza-se por fluxo contínuo sem que seja possível prever a data de sua publicação.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação foi contemplada com o Edital Fapeal Nº 5/2016 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos e com o Edital Fapeal Nº 9/2018 Apoio à Editoração e Publicação de Periódicos Científicos.

________________________________________________________________________________________________________________________

A Revista Debates em Educação está indexada nas seguintes bases científicas.

 

. Open Journal Systems (OJS);

. Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES);

. Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe, España y Portugal (Latindex);

. Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE);

. Diretório de Políticas Editoriais das Revistas Científicas Brasileiras (Diadorim);

. Directory of Open Access Journals (DOAJ);

Indice de Revistas de Educación Superior e Investigación Educativa (IRESIE);

European Reference Index for the Humanities (ERIH);

. Google Scholar;

. Clasificación Integrada de Revistas Científicas (CIRC);

. Periódicos de livre acesso (LivRe);

. Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Cientifico (REDIB);

. Sumários de Revistas Brasileiras (Sumários.org);

. Journals for Free (J4F);

. Information Matrix for the Analysis of Journals (MIAR);

. Directory of Research Journals Indexing (DRJI);

. Elektronische Zeitschriftenbibliothek (EZB);

. Bielefeld Academic Search Engine (BASE);

. World Catalog (WorldCat);

Finna | Satakunta University of Applied Sciences Library;

. CiteFactor;

International Institute of Organized Research (I2OR).

 

                 

_________________________________________________________________________________________________________________________

Licença Creative Commons

Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.