Proposta para o ensino de Geometria

sólidos no Geogebra

Autores

  • Paulo Vitor da Silva Santiago Universidade Federal do Ceará (UFC)
  • José Rogério Santana Universidade Federal do Ceará (UFC)

DOI:

https://doi.org/10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15862

Palavras-chave:

Geometria Espacial, Engenharia Didática, Ensino de Matemática, GeoGebra, Sequência Fedathi

Resumo

A Geometria tem ganhado espaço na Educação Básica, principalmente com o suporte da Tecnologia Digital no processo de ensino e aprendizagem de Matemática. O objetivo deste trabalho é apresentar uma proposta didática para o ensino de áreas e volumes com uso do GeoGebra, associado a moldes de papel enquanto material concreto. Embasamos esta proposta nos quadros teóricos da Sequência Fedathi e da Engenharia Didática. A metodologia adotada é de natureza qualitativa, orientada pelas duas primeiras fases da Engenharia Didática. Os resultados parciais trazem uma construção geométrica a ser utilizada pelo professor de Matemática para exploração de conceitos fundamentais da Geometria Espacial, com a possibilidade de replicação destes materiais e seu uso de forma dinâmica em sala de aula.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Vitor da Silva Santiago, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Doutorando em Ensino de Ciências e Matemática pelo Programa de Pós-Graduação em Ensino da Rede Nordeste de Ensino (RENOEN), polo UFC. Mestre em Ciências e Matemática no Programa de Pós Graduação (PPGENCIMA) da Universidade Federal do Ceará (UFC) na linha de pesquisa Tecnologias Digitais (TD) no Ensino de Ciências e Matemática. Especialização no Ensino de Matemática (ISEIB), Especialização em Nutrição Clínica e Esportiva (UNIQ), Especialização em Docência na Educação Profissional, Científica e Tecnológica (IFCE), Especialização em Gestão Escolar: Administração, Supervisão e Orientação (ÚNICA), Especialização em Tecnologias Digitais e Inovação na Educação (ÚNICA), Especialização em Docência no Ensino Superior (ÚNICA), Especialização em Matemática, suas Tecnologias e o Mundo do Trabalho (UFPI), Especialização em Educação Digital (SENAI-SC). Especializando em Ensino de Matemática: Anos Finais do Ensino Fundamental (UFPI), Licenciatura em Matemática (IFCE), Tecnólogo em Alimentos (CENTEC), Licenciatura em Filosofia (FAERPI), Licenciando em Educação Física (UECE). Atualmente é professor de Matemática - SEDUC CE. Membro da Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Regional Ceará (SBEM-CE). Membro do Grupo de Estudos Tecendo Redes Cognitivas de Aprendizagem (G-TERCOA) e do Grupo de Pesquisa e Produção de Ambientes Interativos e Objetos de Aprendizagem (PROATIVA).Trabalhou como professor PIBID/IFCE - Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência na área de Matemática (Geometria e Cálculo). Professor e Coordenador de Olimpíada de Matemática atuando em todas as áreas do ensino e no Programa Polos Olímpicos de Treinamento Intensivo (POTI). Pesquisa sobre: Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC), Didática da Matemática, Resolução de problemas, Tecnologias no ensino de Matemática e Formação de professores (Álgebra, Teoria dos Números, Geometria e Estatística).

José Rogério Santana, Universidade Federal do Ceará (UFC)

Possui graduação em pedagogia pela Universidade Federal do Ceará (UFC), com formação em Educação Matemática. Mestre e Doutor em Educação com área depesquisa em Educação Matemática e Tecnologias Digitais pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Possui Pós-doutorado pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB),na linha de Pesquisa História da Educação. É Professor Associado da Universidade Federal do Ceará na Faculdade de Educação (FACED/UFC) trabalhando com TecnologiasDigitais na Educação, bem como, com Práticas Culturais Digitais. Possui experiência na área de Educação, com ênfase em Tecnologia Educacional e Educação a Distância,Atua nos nos seguintes temas: Computação Single Board na Educação, robótica educacional, informática educativa, educação a distância, educação matemática,geometria dinâmica e formação de professores, formação docente por videoaulas e metodologias educacionais. Também desenvolve trabalhos sobre a relação Imagem eMemória na perspectiva da Pedagogia das Imagens Culturais e da História e Memória. Participa do Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira da UFC(FACED/UFC), bem como, do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências e Matemática (ENCIMA/UFC) e também atua no Mestrado Profissional em Tecnologias Digitaisda UFC Virtual. Atualmente é supervisor de Pós-doutorado na FACED/UFC e desenvolve trabalhos de Coordenação do LABPAM/CD Maker - FACED/UFC (Laboratório dePesquisas e Avaliações Métricas/Cultura Digital Maker da Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará).

Referências

ALMOULOUD, S. A. Fundamentos da didática da matemática. Curitiba: Ed. UFPR, 2007.

ALMOULOUD, S. A.; QUEIROZ, C. de; COUTINHO, S. Engenharia Didática: características e seus usos em trabalhos apresentados no GT-19/ANPEd. Revemat: Revista Eletrônica de Educação Matemática, v. 3, n. 1, p. 62-77, 2008.

ARTIGUE, M. Ingénierie Didactique. Recherches en Didactique des Mathématiques. Grenoble: La Pensée Sauvage-Éditions, v. 9, n. 3, p. 281-308, 1988.

ARTIGUE, M. La enseñanza de los princípios del cálculo: problemas epistemológicos, cognitivos y didácticos. In: ARTIGUE, M. et al. Ingeniería Didáctica em Educación Matemática. Bogotá: Grupo Editorial IberoAmérica, 1995, p. 97-140.

ARTIGUE, M. Engenharia Didática. In: BRUN, J. Didáctica das Matemáticas. Lisboa: Instituto Piaget. Horizontes Pedagógicos, 1996, p.193-217.

ARTIGUE, M. Perspectives on design research: The case of didactical engineering. In: BIKNER-AHSBAHS, A.; KNIPPING, C.; PRESMEG, N. (Eds.). Approaches to qualitative research in mathematics education, Springer, 2014, p. 467-496. Disponível em: https://doi.org/10.1007/978-94-017-9181-6_17. Acesso em: 18 fev. 2023.

ARTIGUE, M. et al. The French didactic tradition in mathematics. In: BLUM, W.; ARTIGUE, M.; MARIOTTI, M. A.; STRÄBER, R.; VAN DEN HEUVEL-PANHUIZEN, M. (Eds.). European traditions in didactics of mathematics. ICME-13 Monographs, Springer, 2019, p. 11–56. Disponível em: https://doi.org/10.1007/978-3-030-05514-1_2. Acesso em: 3 fev. 2023.

BAIRRAL, M. A. Tecnologias da Informação e Comunicação na Formação e Educação Matemática. Série InovaComTic, v. 1. Rio de Janeiro: Edur, 2009.

BASTOS, R. Geometria no currículo e pensamento matemático. 1999. Disponível em: https://bit.ly/2D2y24i. Acesso em: 04 dez. 2022.

BITTAR, M. A Teoria Antropológica do Didático como ferramenta metodológica para análise de livros didáticos. Zetetike, Campinas, SP, v. 25, n. 3, p. 364-387, 2017. DOI: 10.20396/zet.v25i3.8648640. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/ index.php/zetetike/article/view/8648640. Acesso em: 28 jul. 2023.

BORBA, M. de C.; SILVA, R. S. R. da; GADANIDIS, G. Fases digitais em educação Matemática: sala de aula e internet em movimento. 2. ed. 2. reimp. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2018. (Coleção Tendências em Educação Matemática).

BORGES NETO, H. Sequência Fedathi: fundamentos. v. 3. Curitiba, PR: CRV, 2018.

BRASIL. Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica, 2018.

BRASIL. Secretaria da Educação Básica. Programa Nacional do Livro para o Ensino Médio. Catálogo do Programa Nacional do Ensino Médio. Brasília: MEC/SEB/PNLEM, 2020.

CAVALCANTE, R. N. B.; MENEZES, D. B. Medindo altura de coqueiros no pátio da escola: uma atividade prática com a Sequência Fedathi. In: Castro, P. A. de. (Org.). Avaliação: Processos e Políticas Campina Grande: Realize Eventos Científicos & Editora, 2020.

DANTE, L. R. Matemática, contexto & aplicações. 3. ed., v. 1, São Paulo: Ática, 2016a.

DANTE, L. R. Matemática, contexto & aplicações. 3. ed., v. 2, São Paulo: Ática, 2016b.

DANTE, L. R. Matemática, contexto & aplicações. 3. ed., v. 3, São Paulo: Ática, 2016c.

DENZIN, N. K.; LINCOLN, Y. S. Introdução: a disciplina e a prática da pesquisa qualitativa. In: DENZIN, N. K. e LINCOLN, Y. S. (Orgs.). O planejamento da pesquisa qualitativa: teorias e abordagens. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, 2006. p. 15-41.

FONTENELE, F. C. F. A Sequência Fedathi no ensino da álgebra linear: o caso da noção de base de um espaço vetorial. 2013. 94 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/7521. Acesso em: 04 fev. 2023.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

KRAMARENKO, T. H.; PYLYPENKO, O. S.; MUZYKA, I. O. Aplicação do GeoGebra no ensino de Estereometria. CTE Workshop Proceedings , Kryvyi Rih, Ucrânia, v. 7, p. 705-718, 2020. Disponível em: https://acnsci.org/journal/index.php/cte/article/view/418. Acesso em: 6 abr. 2023.

LEE, K. Augmented Reality in Education and Training. TechTrends, v. 56, n. 2, p. 13-21, 2012. Disponível em: https://doi.org/10.1007/s11528-012-0559-3. Acesso em: 6 fev. 2023.

PAULO, R. M.; PEREIRA, A. L. Aspectos metodológicos de una investigación sobre la enseñanza del cálculo con realidad aumentada. PARADIGMA, v. 43, n. 2, p. 82-104, 2022. Disponível em: http://revistaparadigma.online/ojs/index.php/paradigma/ article/view/1219. Acesso em: 8 abr. 2023.

PAVANELLO, R. M. Por que ensinar/aprender Geometria? 2009. Disponível em: https://bit.ly/39GoLKX. Acesso em: 01 dez. 2022.

SANTANA, J. R. Educação matemática: favorecendo investigações matemáticas através do computador. 2006. 430f. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal do Ceará, Faculdade de Educação, Programa de Pós-graduação em Educação Brasileira, Fortaleza-CE, 2006.

AUTOR.

AUTORES.

SANTOS, M. J. C. O letramento matemático nos anos iniciais do ensino fundamental. REMATEC: Revista de Matemática, Ensino e Cultura, Ano 15, Fluxo Contínuo, p. 96-116, 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.37084/REMATEC.1980-3141.2020.n0.p96-116.id238. Acesso em: 16 fev. 2023.

SETTIMY, T. F. de O.; BAIRRAL, M. A. dificuldades envolvendo a visualização em Geometria Espacial. VIDYA, v. 40, n. 1, p. 177-195, 2020. Disponível em: 10.37781/vidya.v40i1.3219. Acesso em: 20 fev. 2023.

SOUSA, F. E. E. de. A pergunta como estratégia de mediação didática no ensino de matemática por meio da Sequência Fedathi. 2015. 282 f. Tese (Doutorado) - Curso de Programa de Pós-Graduação em Educação, Faculdade de Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2015. Disponível em: http://www.repositorio.ufc.br/handle/riufc/14363. Acesso em: 01 dez. 2022.

SOUZA, M. J. A. Aplicando a Sequência Fedathi no ensino da Geometria Plana. Boletim Cearense de Educação e História da Matemática, v. 8, n. 23, p. 768-780, 2021. Disponível em: https://revistas.uece.br/index.php/BOCEHM/article/view/5133. Acesso em: 2 abr. 2023.

Downloads

Publicado

2024-01-22

Como Citar

SANTIAGO, Paulo Vitor da Silva; SANTANA, José Rogério. Proposta para o ensino de Geometria: sólidos no Geogebra. Debates em Educação, [S. l.], v. 16, n. 38, p. e15862, 2024. DOI: 10.28998/2175-6600.2024v16n38pe15862. Disponível em: https://seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/15862. Acesso em: 13 jul. 2024.

Edição

Seção

Dossiê: Formação de professores que ensinam Matemática: contextos e práticas

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.